PRINCIPAL AGENDA TESTEMUNHOS ARTIGOS
PRINCIPAL
AGENDA
TESTEMUNHOS
ARTIGOS
CONSELHOS PARA CASAMENTO
RESTAURANDO O CASAMENTO
NAMORO E  NOIVADO
SEXUALIDADE
ABAIXO A ROTINA
SEMINÁRIOS
PREGAÇÃO EM AUDIO
ESBOÇOS SERMÕES CASAMENTO
NOSSOS ENCONTROS
FOTOS
QUEM SOMOS
CONVITES
LITERATURA
CASADOS PARA SEMPRE
LINK
USO INTERNO
 

A CONDIÇÃO ESPIRITUAL DA FAMÍLIA DEPOIS DO DIVÓRCIO

 

Sabemos que se você está lendo esse livro, está em busca da reconciliação, portanto está travando uma batalha espiritual.

 

Numa batalha, é fundamental saber como o inimigo está agindo.

 

Deus mostrou o que acontece com as pessoas envolvidas no divórcio, a um grande amigo nosso. Pedi para que ele escrevesse essa revelação de Deus, para que você possa entender o que pode está se passando com sua família:

 

Existem dois caminhos, mas somente um é o perfeito.

Estive meditando e orando a respeito do texto do profeta Malaquias 2.16 que diz:

 

Eu odeio o divórcio", diz o Senhor, o Deus de Israel, e o homem que se cobre de violência como se cobre de roupas", diz o Senhor dos Exércitos.” Por isso tenham bom senso; não sejam infiéis.” - NVI.

 

Conversando com Deus, eu disse a Ele que o divórcio era muito comum nos dias de hoje e que isso devia desagradá-Lo muitíssimo. Sendo o divórcio uma prática frequente, me preocupou o destino das pessoas que tomam esta decisão de vida. Então perguntei a Deus o que acontece com quem se divorcia.

Deus me respondeu que Ele vira a Sua face a estas pessoas e um espírito de ódio vem sobre todas as vidas envolvidas no processo. Eu perguntei “todas? Quais?” Ele me disse entre o casal, sogros, cunhados e, inclusive, pais e filhos.

 

Continuei meditando e orando a respeito deste espírito malígno que vem sobre muitas pessoas do nosso tempo e perguntei a Deus como seria possível que, sendo Deus a mais profunda expressão do amor, permitir que um espírito que tem o sentido oposto ao do amor, vir sobre a vida delas. Neste momento Deus não falou comigo diretamente. Dias depois ele usou a vida de um pastor em uma pregação que citou I Samuel 16:14 que diz:

 

“O Espírito do Senhor se retirou de Saul, e um espírito maligno, vindo da parte do Senhor, o atormentava.”  Edição Conteporânea.

 

Posteriormente, Deus me explicou e me deu base bíblica em mais de um versículo para entender que, quando desobedecemos a palavra de Deus, Ele retira a cobertura de Seu Santo Espírito, o que permite que espíritos malígnos possam exercer influência sobre aqueles que optam pelo divórcio. Sei que uma vez que aceitamos à Jesus, o espírito de Deus habita em nós e somos selados por ele (Ef 4.30). Mas você há de convir comigo, que aquele que se diz cristão e se divórcia sem respaldo bíblico, está cometendo pecado, portanto sua conversão é questionável. Será que o Espírito de Deus realmente habitava nele?

 

Este é um dos caminhos que podemos seguir em nossas vidas e cuja escolha trará suas consequências. Continuei buscando respostas de Deus e perguntei a Ele qual outro caminho a seguir. Ele me mostrou na Palavra Dele o texto de I Coríntios 13: 4-8a que diz

 

“o amor é paciente, é benígno. O amor não inveja, não se vangloria, não se ensoberbece. O amor não se alegra com a injustiça, mas se regozija com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha...” - edição Contemporânea.

 

O Senhor me explicou que, quando nos decidimos pelo casamento, fazemos algumas escolhas. A primeira escolha é a do cônjuge.

Nós nos decidimos por uma determinada pessoa, dentre milhares, com todos os seus defeitos e qualidades.

Outra escolha é o caminho do amor. Deste caminho, grande parte dos casais se esquece, mas ele continua sendo uma escolha.

Segundo a instrução que o Senhor me deu, nesta fase de oração e busca o caminho do amor é a decisão de passar pela porta estreita. Esta porta estreita remete à premissa do cristianismo que diz que devemos carregar nossa cruz e segui-lo.

O carregar a cruz do cristianismo, porém, não implica em sofrimento ou auto-penitência como pode parecer, por que, assim como Cristo teve a ajuda de alguém para carregar a cruz dele em sua paixão, nós contamos com a ajuda dele para carregar a nossa. Quando a Palavra diz que “o amor tudo sofre” é uma verdade. Existe sofrimento e renúncia na decisão de amar, visto que quando decidimos amar uma pessoa segundo os princípios cristãos, esse ato não está condicionado à reciprocidade ou à resposta do cônjuge. Isto implica em renúncia ao próprio ego. Em contra-partida, o texto segue dizendo que o amor tudo crê, tudo espera e tudo suporta. Quem faz a opção pelo amor tem a face daquele que é a própria expressão maior do amor voltada para si. A força para tudo suportar e tudo esperar não virá da própria pessoa, mas sim do próprio Espírito de Deus.

 

Esta é a grande decisão dos casais que estão diante de optar pelo divórcio ou pela reconciliação. São dois caminhos diametralmente opostos. Um que parece fácil, simples e objetivo e outro que implica em renúncia pessoal, paciência e persistência. Um parece prático e definitivo. Um verdadeiro ponto final em um problema. No entanto as feridas oriundas desta decisão se prolongam e propagam através dos filhos, das lembranças e das pendências que acabam nunca sendo resolvidas. Mas Deus foi claro ao me falar que a escolha é muito simples: ódio ou amor. Ele não colocou meio-termo, embora haja ex-casais que aparentemente vivam em paz, mas no íntimo tenham feridas que estão sempre abertas. Deus é um deus que diz que o sim é sim e o não é não. Existe somente uma escolha correta na obediência a Deus em relação ao divórcio. A escolha perfeita é o amor, por que o amor nunca falha.

 

André Chinaglia

                                      

Saiba que se sua família está vivendo isso, Deus pode e quer mudar essa condição. Mas é preciso que Ele ache espaço para agir!

Aconselhamos sempre àqueles que foram abandonados, a lutarem pelos seus filhos! Estando com você que é cristão, ele será livre dessa influência maligna e estará debaixo de sua cobertura cristã.

Site Map