PRINCIPAL AGENDA TESTEMUNHOS ARTIGOS
PRINCIPAL
AGENDA
TESTEMUNHOS
ARTIGOS
CONSELHOS PARA CASAMENTO
RESTAURANDO O CASAMENTO
NAMORO E  NOIVADO
SEXUALIDADE
ABAIXO A ROTINA
SEMINÁRIOS
PREGAÇÃO EM AUDIO
ESBOÇOS SERMÕES CASAMENTO
NOSSOS ENCONTROS
FOTOS
QUEM SOMOS
CONVITES
LITERATURA
CASADOS PARA SEMPRE
LINK
USO INTERNO
 

Fuja da impulsividade e da paixão

Escolha o equilíbrio.  Paulo aconselha a Timóteo: “foge das paixões juvenis”.

No contexto restrito às Epístolas a Timóteo, paixão refere-se à impulsividade em fazer as coisas e tomar decisões sem ponderar. Refere-se a dar vazão aos desejos instintivos e emocionais sem considerar as consequências. Refere-se a abraçar as oportunidades conforme elas surgem sem estabelecer um planejamento para a vida que determine e modere suas escolha; à inconstância e mudanças abruptas naquilo que faz e na quebra de alianças que estabelece para a vida amorosa, para a vida profissional, para sociedades comercial e empresarial, para empreendimentos etc.. Refere-se à inconstância nos estudos e mudanças eclesiásticas. 
Isso tudo gera decepção, frustração, desânimo e auto imagem e auto aceitação negativas; cria uma perspectiva nebulosa e hostil em relação à vida, às pessoas, ao mundo, a Deus e aos planos e propósitos divinos.

No contexto amplo dos ensinamentos de Paulo, paixão refere-se à concupiscência, às obras da carne predominando e determinando as ações, reações, emoções, pensamentos e intenções, sem o efeito equilibrador do Espírito Santo. Refere-se a fazer escolhas motivado por cobiça, inveja, idolatria, luxúria e avareza. Refere-se a desejar alguém por instinto sexual, por fantasias sexuais (lascívia). Refere-se a confundir possessão com amor, rivalidade com fé perseverante, arrogância e ciúme com zelo, e cuidado e egoísmo com amor próprio. Refere-se a confundir fuga, escapismo, precipitação e impulsividade com decisão equilibrada e direção de Deus.

A dominação da paixão cega o discernimento, ensurdece a percepção à voz e sinais de Deus e aos conselhos de quem realmente nos ama (ex.: pais). A dominação da paixão endurece o coração e o torna insensível, entristece o Espírito Santo, esfria a comunhão com Ele e com o corpo (Igreja) de Cristo. A dominação da paixão extingue a alegria da salvação e anula a discernimento do certo e do errado, minimiza o valor dos vínculos familiares, congela e paralisa os sonhos.

A paixão tem o poder negativo e destrutivo de fazer a pessoa sentir que está certa, com a razão e que todo mundo esteja errado e contra ela. A paixão faz a pessoa confundir suas conclusões pessoais com o discernimento espiritual vindo do Espírito de Deus. A paixão faz a pessoa ser passional (“amar” e odiar com a mesma intensidade). A paixão faz a pessoa se tornar vingativa, iracunda, rixosa, possessiva, opressiva, ciumenta, invejosa e agressiva verbal e fisicamente. A paixão faz adoecer física, emocional e espiritualmente. A paixão, entendida como predominação das obras da carne sobre o ser do indivíduo, nunca é boa e não serve para orientar na escolha do parceiro para a vida amorosa.

Escolha orar. Faça da oração um hábito, uma necessidade e uma disciplina de vida. Isso lhe trará equilíbrio espiritual, emocional, sentimental e racional. Para desenvolver comunhão com Deus ore todos os dias. Para sentir paz em Deus, para amar a Deus, para amar a si mesmo e ao próximo, ore adorando-O, louvando-O e agradecendo-Lhe. Para que a alegria do Senhor invada seu ser ore confessando os seus pecados, perdoando a si mesmo e liberando perdão a quem o ofendeu. Para sentir prazer na oração ore com perseverança. Isso não vem num primeiro momento de oração, vem na oração habitual, diária e sem pressa.

Ore até sentir-se bem em Deus e não se apresse para pedir; primeiramente “deleita-te no Senhor”. Pode demorar dias para estar pronto para pedir ou decidir, então, invista na comunhão com Deus através da oração “e acharás graça e bom entendimento aos olhos de Deus e do homem”. Faça da oração uma aventura prazerosa em Deus e “Ele endireitará os teus caminhos”. Sinta Deus sondar você, conte a Ele os seus segredos, desejos e sonhos mais íntimos, deixe que Ele opere em você “o Seu querer e o efetuar”, assim Ele orientará desde o seu desejo até a sua petição e decisão. Para sentir que Deus está conduzindo seus sentimentos, pensamentos, vontade e decisões, comece o dia fazendo oração de entrega de sua vida e de sua vontade a Ele. “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele”. Quando isso se tornar uma forma de vida, então, “Ele concederá o que deseja o teu coração”.

Manassés Herculano

Pastor da Igreja Redenção

Contato, convites, palestras e seminários:

redencao.manasses@gmail.com

(011) 2351-3988

Site Map