PRINCIPAL AGENDA TESTEMUNHOS ARTIGOS
PRINCIPAL
AGENDA
TESTEMUNHOS
ARTIGOS
CONSELHOS PARA CASAMENTO
RESTAURANDO O CASAMENTO
NAMORO E  NOIVADO
SEXUALIDADE
ABAIXO A ROTINA
SEMINÁRIOS
PREGAÇÃO EM AUDIO
ESBOÇOS SERMÕES CASAMENTO
NOSSOS ENCONTROS
FOTOS
QUEM SOMOS
CONVITES
LITERATURA
CASADOS PARA SEMPRE
LINK
USO INTERNO
 

“"Quando iam pelo caminho, disse-lhe um homem: Seguir-te-ei para onde quer que fores. Respondeu-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos; mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça. E a outro disse: Segue-me. Ao que este respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai.  Replicou-lhe Jesus: Deixa os mortos sepultar os seus próprios mortos; tu, porém, vai e anuncia o reino de Deus. Disse também outro: Senhor, eu te seguirei, mas deixa-me despedir primeiro dos que estão em minha casa. Jesus, porém, lhe respondeu: Ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o reino de Deus."”  Lc 9.57-62

 

Três homens queriam seguir a Jesus. O primeiro recebeu uma advertência de Jesus, o segundo e o terceiro deram uma justificativa para Jesus.

A primeira justificativa era real: era tradição judaica e perfeitamente justificável que o filho enterrasse seu pai.

A segunda justificativa parecia ser fictícia: parecia que ele queria ganhar tempo ou, quem sabe, se atrasar e perder a partida da caravana de Jesus.

 

Justificativas são aqueles pensamentos e frases usadas geralmente para jogar a culpa dos nossos erros em fatos ou pessoas que nos levaram a pecar, agindo ou falando de forma errada. É quando nos falamos que não perdemos algo, só não estamos achando, quando não estamos devendo, só não pagamos ainda, ou quando falamos que não mentimos, mas só deixamos de falar toda a verdade.

 

São desculpas usadas para enganar quem as recebe e satisfazer a nossa consciência.

As pessoas que ouvem nossa justificativa fingem que acreditam e nós ficamos tranquilos achando que não somos passíveis da culpa do pecado, porém a Bíblia diz:

 

“Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.” Rm 14:12 – NVI.

 

Não adianta jogar a culpa nos outros, a grande parte da culpa é sua mesma. O problema é que não queremos pensar assim. Fora um caso de adultério ou de abandono, sempre achamos que a culpa de nossos problemas do casamento nunca é nossa, mas sempre do cônjuge, e mesmo assim, tem maridos ou esposas, que atribuem a culpa de terem traído ao marido. Dizem que traíram porque não tiveram atenção do cônjuge. O cônjuge que não deu atenção estava errado, mesmo, mas isso não justifica o adultério.

Algumas vezes a culpa é mesmo do cônjuge, mas é muito importante analisarmos as nossas falhas, pois elas podem estar acabando com o casamento. 

Pr. Ronaldo Calil

Site Map