PRINCIPAL AGENDA TESTEMUNHOS ARTIGOS
PRINCIPAL
AGENDA
TESTEMUNHOS
ARTIGOS
CONSELHOS PARA CASAMENTO
RESTAURANDO O CASAMENTO
NAMORO E  NOIVADO
SEXUALIDADE
ABAIXO A ROTINA
SEMINÁRIOS
PREGAÇÃO EM AUDIO
ESBOÇOS SERMÕES CASAMENTO
NOSSOS ENCONTROS
FOTOS
QUEM SOMOS
CONVITES
LITERATURA
CASADOS PARA SEMPRE
LINK
USO INTERNO
 

A Bíblia trás a história de Jó, um homem que nos ensina a sermos íntegros, mesmo nas adversidades da vida, mesmo que essas adversidades atinjam o que mais amamos, a família:

 

 "Seus filhos e suas filhas estavam num banquete, comendo e bebendo vinho na casa do irmão mais velho, quando, de repente, um vento muito forte veio do deserto e atingiu os quatro cantos da casa, que desabou. Eles morreram, e eu fui o único que escapou para lhe contar! " Ao ouvir isso, Jó levantou-se, rasgou o manto e rapou a cabeça. Então prostrou-se no chão em adoração, e disse: "Saí nu do ventre da minha mãe, e nu partirei. O Senhor o deu, o Senhor o levou; louvado seja o nome do Senhor ". Em tudo isso Jó não pecou nem de nada culpou a Deus” Jó 1:18b-22 – NVI.

 

Jó era um homem temente a Deus e cumpridor da Palavra divina, embora a Bíblia ainda não tivesse sido escrita – o livro de Jó foi o primeiro livro da Bíblia a ser escrito. Mesmo sem o conhecimento da Palavra, Jó tinha muita intimidade, dignidade e temor, pois agradou ao Senhor.

Dentro das excepcionais características de Jó estava o cuidado com a família. Todos os dias ele orava e intercedia por ela, mas mesmo assim, Jó passou por várias catástrofes na vida e na família.

Muitas vezes fazemos a coisa certa, oramos pelo casamento e pela família, mas apesar de tudo isso passamos por momentos de perdas que parecem ser tão profundos como os de Jó, mas se amarmos a Deus e tivermos a dignidade parecida com a dele, adoraremos a Deus até nas piores circunstâncias.

 

“enquanto eu tiver vida em mim, o sopro de Deus em minhas narinas, meus lábios não falarão maldade, e minha língua não proferirá nada que seja falso. Nunca darei razão a vocês! Minha integridade não negarei jamais, até à morte. Manterei minha retidão, e nunca a deixarei; enquanto eu viver, a minha consciência não me repreenderá.” Jó 27:3-6 – NVI.

Numa crise, uma das coisas mais difíceis de manter é a integridade, ainda mais numa crise familiar. Quero que saiba que o bem mais valioso que você possui é a integridade, ainda que perca tudo e se sinta sem esperança, mantenha a sua integridade. Jó havia perdido a família, estava sendo criticado pelos amigos, enfermo e miserável, mas mesmo assim manteve-se integro. Ninguém mais acreditava nele, sua esposa (a ajudadora) o amaldiçoou pedindo para amaldiçoar a Deus e morrer – provavelmente o abandonou, mesmo porque, não ouvimos mais falar dela.
Jó havia perdido a esperança, a paciência e as forças, mas não a integridade:

 

"Que esperança posso ter, se já não tenho forças? Como posso ter paciência, se não tenho futuro? Acaso tenho a força da pedra? Acaso a minha carne é de bronze? Haverá poder que me ajude, agora que os meus recursos se foram?” Jó 6:11-13 –NVI.

 

Tem hora que nos sentimos desesperados. 
Lendo essa passagem bíblica, dá para perceber como Jó estava totalmente desiludido, sem esperanças e sem forças. Em momentos como esse, é extremamente importante estarmos juntos como casal. Jó não teve sua esposa ao lado para ajuda-lo, Se seu cônjuge um dia estiver nessa condição, ele vai precisar de você ao seu lado, por isso, nunca seja como a esposa de Jó.

Existe hora em que você como ajudadora, ou como sacerdote do lar, deverá orientar e corrigir o erro do cônjuge, mas tem momentos na vida que a melhor coisa a fazer é apenas ficar quieto, abraçar, chorar e orar junto. Queremos que faça uma analise de como estão os sentimentos de seu cônjuge. Será que tem algo que o aflige? Será que ele não está passando por “dias de Jó”? Se estiver, ore por ele e tenha sensibilidade de estar ao seu lado sendo solidário orando e o abraçando. Aprenda sempre a ter essa sensibilidade de perceber quando algo vai mal, pois assim será verdadeiramente uma só carne, e a família será abençoada. 

Texto extraído do livro Casais Motivados Vol. 3 (disponível em 2014)

Site Map